abril 20, 2014

57

eu tentava explicar: o caminho é       como para te dizer sem te dizer que eras tu mas por alguma razão foi sempre só meu é sempre apenas tão só o caminho de cada um e assim lá fomos caminhando paralelamente sem dizer palavra sem nunca nos darmos as mãos em lugar algum


abril 19, 2014

56

e de que me serves tu se na queda mar gelado apenas silêncio se nenhum beijo se nenhuma canção se nenhuma mão se nenhum abraço apertado?

abril 17, 2014

55

e por vezes um intervalo precipício nada espaço vazio nenhuma margem onde chegar para quê uma ponte apetece-me perguntar primeiro o silêncio depois o eco a resposta sem voz: a ponte somos nós